Tags

Há mais ou menos seis anos eu descobri que tinha condromalácia, se trata de uma patologia crônica degenerativa de uma cartilagem no joelho. Essa patologia é mais comum entre atletas do que se pensa e pessoas com alguma disfunção na Tireóide (que é o meu caso) são mais propensas a tê-la.
Na época, devido ao grau de dor que eu sentia, fui proibida de dançar por seis meses só podendo me dedicar à natação. Seis meses sem dançar me pareceu uma eternidade, mas resolvi mergulhar de cabeça (rsrs) na natação indo de segunda à sábado torcendo para que o tempo passasse logo…

O tratamento infelizmente levou doze meses, só que uma semana antes da minha alta, eu rompi o Ligamento Cruzado Anterior do meu joelho esquerdo, me afastando por mais três anos da dança. Um ano e meio contando com fisioterapia pré e pós-cirúrgica e os outros dezoito meses foram para vencer o medo mesmo!

Voltei a dançar aos poucos e aproveitei a oportunidade para fazer aulas para iniciantes, o que para um professor, é excelente como estudo. De lá pra cá já ganhei outras lesões, entre elas uma fissura no menisco e uma clavícula quebrada.

Mas nessa última semana, o desafio apresentado a mim, veio de uma forma bem diferente…
Como já fazia um tempo que eu não me sentia nada bem fui procurar um médico e depois de muitos exames eu descobri a causa do meu mal estar, intolerância a Glúten e a Lactose.
Dessa vez não precisarei ficar afastada da dança… ufa! Mas por no mínimo um ano, não poderei comer nadica de chocolate, açúcar derivado de cana, nenhum derivado de leite, nada que contenha glúten, carne vermelha, ovos, e os piores: nada de sorvete, alho ou cebola (buáááááá). Tempero a comida como gente??? Porém, só faz uma semana de dieta e os sinais de melhora são visíveis.

É claro que a minha vida irá mudar radicalmente e nem sei ainda o quanto, mas creio que isso é só mais um desafio a ser vencido como todos esses outros que já foram superados!

Se pararmos pra pensar, a conquista e a superação tornam a nossa vida muito mais interessante, fazem a gente ter orgulho próprio, elevam a autoestima e nos faz íntegros. Ter a vida ganha não é lá muito útil ao ser humano…

 No fim de tudo, eu sempre me considero vencedora, e você?

Bom dia!!!

Thais Mello.

Anúncios