Tags

, ,

Palavra - Loius Bonald

Infelizmente, mais uma vez terminamos nosso evento e precisamos colocar a boca no trombone!!

Nesse ano, na preparação para o 4º Talento Festival de Dança, nos deparamos com o aumento abusivo de  R$6.880 na taxa para a utilização do Auditório do Cemforpe , que é um equipamento sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação. Por causa desse susto, nós artistas mogianos nos sentimos lesados e, com o intuito de resolver a questão, comparecemos em Fevereiro, a uma reunião com o Sr. Prefeito Marco Aurélio Bertaiolli. Este, após nos tranquilizar com relação ao aumento, ainda nos deu a opção de, a partir da proposta de um projeto educacional, aprovado pela Secretaria e mediante a sua REALIZAÇÃO, nos isentar da taxa de uso do Cemforpe.

A ideia nos pareceu muito interessante e por isso entramos em contato com essa Secretaria para obter o direcionamento necessário. Lá dentro, falamos com meio mundo até chegar no “suposto” responsável por avaliar este tipo de projeto, o Sr. Geraldo Neto (Departamento Pedagógico) que, depois da analise necessária feita, nos deu carta branca para realizá-lo na Escola Municipal Benedito Ferreira Lopes.
Depois de muita preparação, no dia 20 de Agosto, cumprimos com a nossa parte no trato e foi um dia incrível! (veja aqui). Ainda como parte do projeto, nessa data comunicamos aos alunos que eles e seus pais estavam convidados a assistir ao 4º Talento Festival de Dança gratuitamente.

Cinco dias depois, no limite do prazo para a confirmação do Auditório, recebemos a notícia do próprio senhor Geraldo Neto que o nosso projeto não havia sido aprovado pela Secretária da Educação Maria Aparecida Cervan Vidal e que portanto só poderíamos utilizar o Cemforpe mediante o pagamento da taxa de uso.

Oi??????
O motivo da recusa, foi algo sobre nós cobrarmos entrada (não especificado no decreto que regulamenta o uso do Cemforpe). A senhora Secretária tirou o corpo fora e não assumiu a responsabilidade por seu próprio funcionário. Funcionário este que, nas suas próprias palavras “aprovou inocentemente” o projeto sem a autorização necessária. Golpe baixo!!!

Importante:
A palestra nos custou dinheiro, tempo e preparo, quem vai nos ressarcir por este trabalho?
Alguém aí dessa baderna vai assumir a autoria por essa cretinice? Nããããão, nessa hora a culpa não é de ninguém não é mesmo? Maria Aparecida Cervan continuou  incomunicável, a pessoa que iria resolver o problema saiu de licença médica EXATAMENTE no dia da nossa reunião e as outras pessoas que poderiam fazer alguma coisa se fingiram de mortas… Como sempre!

Lá fomos nós, impregnadas de injustiça, muita decepção e choro, tirar dinheiro sei lá de onde para pagar a porcaria da taxa, contabilizando um prejuízo de pelo menos R$6.000. Cancelar tudo duas semanas antes do evento estava completamente fora de cogitação. Afinal, não poderíamos deixar que mais ninguém saísse prejudicado pela irresponsabilidade e incompetência dessas pessoas.

Todavia, pedimos socorro e graças à ajuda e empenho de amigos queridos que formaram um público tão lindo, esse prejuízo não se concretizou porque lotamos a plateia e iluminamos o palco com coreografias maravilhosas! Foi um dia inesquecível!!

O Talento ama os bailarinos e os apreciadores dessa arte tão perfeita que é a dança. Esperamos que todos tenham ficado tão felizes quanto nós no último domingo, é para isso que trabalhamos com tanto afinco e comprometimento!

Vamos dizer para todos aqueles que de uma forma ou de outra colocam pedras no caminho de um artista:

Com as pedras grandes construiremos novos palcos. As pequenas nós chutaremos de volta.”

Para terminar, responderemos a pergunta tema desse post: Para algumas pessoas, a palavra não vale NADA!

 

 

Bom dia!!!

Carol Prado e Thais Mello

 

 

 

 

Anúncios